julio

já faz uns dias que você chegou, julio.
e eu fiquei meio impressionada ("mas já?"), meio surpresa ("mas que demora!").
na verdade, eu nem sabia que podia te chamar de julio até semana passada.

mas pra ser sincera, acho que você me assusta um pouco, julio.
porque você aparece assim, de repente, e eu nunca me sinto preparada pra te receber.
e você é furacão, amigo: depois que você chega, o tempo parece que voa.


Pré-30

Quando fiz 18 anos, meu irmão mais velho me abraçou e disse: "Agora, a vida é uma ladeira".
Achei que era brincadeira, mas de repente tô com quase 30. Pré-30. 

29 anos e contando.


Com licença, obrigada

Meu próprio blog e me sinto uma estranha aqui.
Eu queria ter voltado a escrever desde o início do ano, mas não foi por falta de organização: foi por falta de vontade mesmo.

Às vezes eu sinto uma falta terrível de atualizar aqui e escrevo e apago tantos textos que daria pra publicá-los como uma pequena coletânea de crônicas.
Mas olho pra cada um deles e não gosto do que eles dizem. Os acho chatos e tediosos e desisto de todos...


Um caminho sem volta: doramas

Eu cruzei a linha.
Ultrapassei qualquer tipo de limite.
Entrei por um caminho sem volta.
Como diria o Fantasma da Ópera: ♪ "Past the point of no return, no going back now..." ♪

Comecei a assistir doramas.

pai

todo mundo lembra de setembro de 2001 por causa das torres gêmeas.
eu lembro de você. 
naquele dia, eu cheguei da escola e você e a mãe tavam vendo a tv. 
me contaram sobre o world trade center. 
ficamos vendo tv a tarde toda até cansar.

você morreu duas semanas depois.
numa sexta-feira.
dia 28.

eu falei com você 2 dias antes.
na quarta-feira.
mas você já não conseguia responder. 
a mãe disse que você queria falar comigo e ligou lá do hospital.
eu falei. 
você só me ouviu.
e eu disse pra você voltar logo, que eu tava com saudades, que ia ter jogo do santos.
ouvi sua respiração.
e te dei tchau.

>>