E de repente...

...eu pisquei e se passaram 10 anos desde que comecei com esse blog.
Era pra ser um local para eu escrever às vezes, "treinar" um pouco depois da formatura em jornalismo. Lembro de pensar que se eu não conseguisse um emprego na minha área naquele ano, nunca mais conseguiria. Eu, tão otimista, estava vendo a vida em cores bem confusas.

Tecnicamente eu nunca trabalhei com jornalismo.
Quero dizer... mais ou menos.
É meio confuso de explicar...

Trabalhei com assessoria de imprensa, trabalhei com comunicação em geral, mas nunca fui repórter (a Vitorinha de 8 anos chora). Também nunca fiz a pós em jornalismo literário que eu me prometi fazer depois de 1 ano formada (passou uma década, fiz outra graduação, mas a pós que era bom: niente).


De um jeito muito doido, eu comecei a escrever de verdade. Até uns freelas como ghost writer eu peguei ao longo dos anos e só Deus sabe como eu gosto disso (e, apesar de ter problemas em aceitar elogios, até eu acho que levo jeito pra isso mesmo). Comecei a trabalhar com livros e nunca uma coisa que parecia tão óbvia foi realmente tão óbvia - como eu não tinha pensado em ir por esse caminho?

Sinceramente, eu não me lembro de muitos sonhos de dez anos atrás. Casar com certeza (ainda não deu mas Deus é mais!); trabalhar na minha área (eu meio que mudei de área, então deu certo se a gente pensar beeeeem); ir pra Paris (eu quase chorei quando cheguei lá. quase). Fora esses, eu não me lembro de outras coisas, mas aconteceu tanto plot twist que eu nem consigo imaginar algo diferente do que minha vida é hoje.

Eu gosto de como estou. Me sinto feliz e muito em paz. 
Tirando as madrugadas que eu acordo de repente porque a gastrite ataca; ou em alguns finais de semana que penso que vou morrer sozinha... ainda assim, eu não trocaria meus últimos 10 anos por outros.

Gostaria do ter o mesmo peso de quando tinha 21 anos?
Gostaria.
Vou me esforçar pra isso?

De jeito algum. Eu gosto de pizza e frango frito (só Deus pode me julgar).

Minha parte preferida ao pensar nos últimos anos é perceber que deu tudo certo. Teve dias que eu achava que nunca mais iria parar de chorar ou de me sentir miserável, mas esses dias passaram e o sol brilhou forte. Tudo que me aconteceu foi muito além do que eu pedi ou pensei e já tem 5 anos que só consigo agradecer a Deus por isso - mas não vou mentir dizendo que eu não peço mais nada, porque eu peço, ô se peço! 

Sei por experiência própria que tempestades chegam e que muitas outras chegarão, mas também sei que elas não duram pra sempre e passam. Eu vivo sabendo que elas virão, mas não me preocupo com elas até chegarem: a gente tem que aprender a aproveitar a calmaria também.

;)



0 pessoas viram:

Postar um comentário

>>