2018, que doidera

Falta um mês pra esse ano acabar, mas posso dizer que 2018 já acabou comigo - não de um jeito ruim. Completei 3 décadas de vida. Conheci a cidade com a qual sonhei nos últimos 17 anos. Aos 45 do segundo tempo fiz uma viagem a trabalho pra uma das minhas cidades preferidas. Minha sobrinha mais velha entrou na faculdade. Minha sobrinha mais nova, no ballet. Entreguei um TCC. E tô prestes a me formar numa segunda graduação.

Que ano doido. 

Eu não sabia muito bem o que esperar desse ano pra ser sincera.
Fiz poucos planos, não realizei uma parte desses planos, mas fiz muitas coisas além deles.
Me senti esgotada em mais dias do que gostaria e minha enxaqueca é a única coisa da minha vida imutável.

Achei que seria um ano mais tranquilo, mas chego em dezembro me arrastando. 
Dia 21 eu entro de férias e tudo o que eu quero é poder deitar no tapete da sala e ficar imóvel por um tempinho. O único problema é que até lá eu tenho uma matéria de grego pra terminar - e outras 4, contando com hebraico (sério. me impeçam de fazer outra faculdade se eu aparecer com esse tipo de ideia).

Eu gosto de fazer planos.
Só que 2019 tá chegando e não tô conseguindo planejar nada. 
Uma viagem X aqui; umas aulas de inglês ali. E só.

Não sei se me sinto perdida, cansada ou se apenas quero receber as surpresas da vida sem pensar muito nelas. Em que ponto a gente sabe a diferença entre "deixar a vida nos guiar" X "estar apenas com preguiça"?

Quero fazer uma faxina antes do ano acabar. Tirar meus livros um a um e limpar. Colocar em ordem a desordem que fica atrás de mim no escritório. Mandar o edredom pra lavar porque ele não cabe na minha máquina. Lavar as janelas. Terminar de arrumar meu quarto que eu comecei em fevereiro e não acabei até agora. Revelar fotos, atualizar álbuns, pendurar quadros na parede.

Quero cuidar de mim... em todos os sentido que isso possa ter.

Quero voltar a escrever no blog com frequência. A gravar vídeos. A não me sentir culpada nos dias em que não consigo fazer tudo que gostaria. Quero voltar a fazer natação. A passar uma tarde na praia torrando na areia (com filtro solar, of course). A ir no Pq. do Ibirapuera que fica pertinho da minha casa, eu adoro, mas não piso há 3 anos (!!!). 

Quero voltar a me apaixonar - por pessoas, por lugares, por livros, por músicas (beijo, James Bay. te amo), por Deus e me envolver de novo na obra Dele - esse negócio de ser crente de banco não é pra mim. Um ano aposentada dos trabalhos na igreja e já não aguento mais.

Esse ano foi bom pra ver o que eu não gosto em mim. Do que não quero mais. E de gente que quero distância. Mas 2019... eu não quero esperar coisa alguma enquanto quero esperar tudo. 

Quero abraçar o mundo ao mesmo tempo em que quero deitar no sofá rapidinho pra fazer nada.

**suspiro**

Só seja gentil e me surpreenda, ano novo.
É isso.
:)

0 pessoas viram:

Postar um comentário

>>